segunda-feira, 9 de abril de 2018

ASSUSTADOR! ACIDENTE COM ÔNIBUS FERE SACOLEIROS DE JAGUARIAÍVA

“No momento do acidente tivemos muito medo. Começamos a escutar aquelas freadas e o ônibus tentando desviar e balançando muito, até escutarmos a batida. As luzes se apagaram, a porta não abria e bastante gente estava machucada, sangrando. Foi assustador”,  comentou um homem de sobrenome Moreira.

Um ônibus que vinha com 39 passageiros trazendo sacoleiros do Paraguay, com passageiros de Arapoti, Jaguariaiva e Pirai do Sul, bateu de frente com um caminhão próximo a cidade de Ponta Grossa.

O motorista do caminhão teria atropelado um cavalo que estava solto na pista, perdeu o controle e a batida com o ônibus foi inevitável.

O acidente aconteceu durante a noite do último sábado, 10 pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para um hospital de Ponta Grossa.


Filho de Letícia Spiller 
e Marcello Novaes 
é preso com  maconha
http://www.novahoje.com/3036412/filho-de-leticia-spiller-e-marcello-novaes-e-preso-com-drogas-no-rio/

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Pauliki visita incubadoras na Europa e traça modelos para ser adotado na UEPG

Deputado Marcio Paulik

O deputado estadual Marcio Pauliki visitou recentemente dois polos de incubadoras tecnológicas na Europa – uma na Itália, em Roma e outra em Barcelona, na Espanha.

A ideia é estreitar os laços com essas instituições para futuramente traçar parcerias para serem aplicados na Incubadora Tecnológica da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), bem como para criar modelos de gestão que possam ser adotadas pela universidade.

O deputado indicou para a Lei Orçamentária Anual (LOA) o montante de R$ 1,5 milhão para ser aplicado na construção de uma nova sede para a Incubadora Tecnológica da Universidade Estadual de Ponta Grossa. “Durante as minhas visitas percebi que é possível elaborar parcerias para o desenvolvimento de pesquisas e projetos com outras incubadoras, mas para isso precisamos também buscar uma estrutura mais moderna”, afirma Pauliki.

O parlamentar também destacou a necessidade de se aplicar em projetos tecnológicos com o desenvolvimento de startups, que são empresas jovens que buscam a inovação em qualquer área ou ramo de atividade.

Além disso, os trabalhos desenvolvidos pelas incubadoras contribuem para a elaboração de projetos ligados à gestão pública e planejamento urbano. “Por isso, temos que investir em nossas universidades e em nossos pesquisadores. É necessário, portanto que os pesquisadores, professores e acadêmicos tenham recursos e equipamentos para desenvolverem suas pesquisas e novos equipamentos que poderão, no futuro, ser utilizados pela sociedade. É preciso investir, sempre, em educação”, ressalta o deputado.

As incubadoras servem para dar estrutura logística e ajudam as pessoas a montarem suas próprias empresas. “Isso contribui para gerar emprego e renda, beneficiando toda sociedade”, completa Pauliki.

Importância social
O professor doutor Ricardo Ayub, coordenador do Laboratório de Biotecnologia Aplicada da UEPG, ressalta que a estruturação de uma Incubadora na universidade é importante para toda sociedade. Atualmente, segundo ele, a incubadora está iniciando seus trabalhos na UEPG. “Esses recursos serão fundamentais para toda a sociedade, já que poderemos estruturar a incubadora e permitir a formação de novas empresas e do desenvolvimento de novas tecnologias e novos produtos dentro da universidade”, ressalta Ayub.

As empresas incubadas, ainda de acordo com o professor, irão explorar novos campos e poderão, no futuro, contribuir para a geração de empregos. “Isso tem uma importância social muito grande para toda a comunidade”, completa.

O reitor da UEPG, Carlos Luciano Vargas, a Incubadora terá impactos positivos para toda a região. “Tanto para a UEPG como para toda região é de extrema importância a existência de um espaço para viabilizar empreendimentos inovadores, pois assim teremos condições de nos anteciparmos para as novas exigências do mercado e para as novas profissões”, afirma o reitor.

TRAGÉDIA 
Van de cantor sertanejo capota, 
8 ficam feridos e filho morre

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

VEM AI! O MAIOR CARNAVAL DO INTERIOR DO PARANÁ

Dias 09 / 10 / 11 e 12 


Área Camarote: R$ 2.300,00  
P/ 10 pessoas.

Área Vip: R$ 180 (Pacote)

Área Vip barzer043: 180R$ (Pacote) 
Será temático, com decoração do bar, 
 barmans e drinks.

Área Pista: 50R$ (Pacote)

Atrações🎶🎉

Sexta 09/02 Mc: Menor🎼🎤

-Sábado 10/02 GTG Gustavo Toledo & Gabriel.🎙🎶 

-Domingo 11/02 Banda 3Cantos 🎼🎤,
(No domingo as 15 horas Matinê com personagens infantis
 para fazer a festa das crianças)

-Segunda 12/02 Zé Roberto do Maquina da fama SBT🎶

Todos os dias Micareta Serteneja 
com Márcio Rocha da ``Woods``

Info: (43)99935-2231

#TMZ2018
#EUVOU
#TODOMUNDOVAI

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Emenda de Pauliki garante que 74% das micro e pequenas empresas serão isentas ou terão redução de impostos


Garantir a isenção de impostos para os microempresários do Paraná.

 Com este objetivo o deputado estadual Marcio Pauliki apresentou uma emendaque determina que74% das empresas paranaenses inseridas no Simples Nacional serão isentas ou terão redução de impostos. 

A emenda foi incluída no projeto de lei 557, que prevê o reenquadramento das faixas de ICMS das micro e pequenas empresas no Simples Nacional.

“É preciso garantir que a lei seja respeitada e que a mudança do Simples não onere nossos empresários. Conseguimos, ao agir desta maneira, garantir um impacto menor para nossos empresários, que representam um motor importante na economia do estado, garantindo empregos e investimentos no Paraná”, ressalta Pauliki. 

A medida, que foi aprovada nesta segunda-feira (04), faz com que as micro e pequenas empresas paguem 40% a menos de ICMS do que estaria previsto no projeto original.

O Paraná possui 623 mil microempresas ativas e 45 mil empresas de pequeno porte. 


Neste ano 18 mil novas micro e pequenas empresas foram abertas. 

Em 2016 o Paraná foi o estado foi o que mais empregos gerados por micro e pequenas empresas na região Sul, segundo o Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. 

Em termos nacionais, as microempresas paranaenses só perdem, em geração de vagas, para São Paulo e Minas Gerais.

Além disso, a emenda de Pauliki garante que as empresas com faturamento entre R$ 3,6 a 4,8 milhões por ano e que hoje pagam impostos pelo lucro real ou presumido, poderão agora optar pelo Simples.